25
Nov 12

 

 

Amanheceu feliz...

 

Amanheceu feliz

Deitei contas à vida

Resolvi dar uma volta pela baía

Aparelhei meu velho e cansado veleiro

Arrastei-o até às mansas águas

Empurrei-o e logo me icei a bordo

Veleiro de uma só vela

Veleiro de um só passageiro

Com ele muita coisa vivi

Com ele aproei ao nascer do rei sol

As brisas matinais ainda mansas

Sopravam devagarinho sobre a vela

Enfunando-a

Sem fazer adornar o meu velho veleiro

Mansamente deslizou pela baía

O chapinhar das pequenitas ondas matinais

No velho e cansado casco do meu veleiro

Chamavam devagar pelo meu acordar

Porque o sol se ia elevando

Quente de mais

Que prometia um cáustico dia de verão

Regressei a onde partira

Baixei a vela mestra

Deixei o velho veleiro repousando

Sobre as ainda frescas areias da nossa baia

Mais acordado

Lavei-me e saboreei um principesco pequeno-almoço

Meti pés a caminho

Rumei ao meu escritório ali por perto

De cada quintal soavam os bons-dias da canzoada

Subi ao primeiro andar

Abri a minha janela favorita

O quente sol espreitou para dentro dos aposentos

Trazendo com ele uma alegria bem diferente

 

Marcolino Duarte Osório

          - Peregrino -

          2012-11-25

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 01:41
sinto-me: amanhecer bem diferente...

Novembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

26
27
28
29
30


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO