01
Jan 13

 

Porquê um Adeus...

 

Porquê um adeus

Se nada ainda terminou

Foi apenas uma mudança de data

Foi apenas mais um ano

Foi apenas mais um dia

Como todos os dias acontece

Ao Sol poente

Acontecem encontros de amor

Lá vem a Lua indiscreta e sensual

Com seu piscar de olhos e sorriso misterioso

Avisar-nos que chegou a hora de voltarmos a amar

Corpos enlaçados suados e cansados

Abandonam-se sob o manto do céu estrelado

Aqui e ali riscado por estrelas cadentes

Bom augúrio para os belos amantes

As folhas do calendário

Nunca se refazem apenas são deitadas fora

As noites de grandes amores

Jamais se deitam fora

Apenas se refazem em pleno dia

Para ao brilhar das primeiras estrelas

Regressarem à volúpia dos abraços

Dos eternos amantes enlaçados suados e cansados

Voltando a amar-se sob o manto do céu estrelado

Até que o Rei Sol reapareça e as estrelas se escondam

Senti-me recortar teus lábios com os meus

Senti nos teus o calor do nosso desejo

Enlacei-te com vontade de te amar profundamente

Vacilaste

Cingi-te mais a mim

Afastaste-me

Deixei de sentir teus firmes e doces seios no meu peito

Nossos lábios se afastaram

Teus dedos dos meus se largaram

Dos meus olhos grossas lágrimas rolaram

Meu Deus

Porquê um adeus assim tão desesperado

Se nada ainda terminou

Para mim foi a redescoberta do amar alguém

Será que para ti foi apenas uma aventura

Medo da redescoberta da mudança da noite para o dia

 

Marcolino Duarte Osório

          - Peregrino -

          2013-01-01

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 13:31
sinto-me: bem feliz!

Janeiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11

13
14
15
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
30
31


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO