23
Jul 09

Parei e olhei em volta...

 
Procurei uma boa sombra
Um banco acolhedor
Lá estavam ambos
Naquele banco de madeira
Sob uma linda e fresca sombra
Me sentei
Busquei dentro de mim
Algo que se passara
Há muitos anos atrás
Memórias frouxas avivadas
Era a de um menino que ali esteve
Roto e sujo
Que comigo brincou e falou
De coisas que eu desconhecia
Coisas da vida dos meninos da rua
Meninos sem futuro
Jovens filhos de ninguém
Dia-a-dia caminhando sem parar
Rumo ao futuro
Um futuro diferente do meu
O daquele bom menino sem nome
Tu cá
Tu lá
Conversas soltas
Entre mim
E aquele jovem
Para além do menino da rua
Que vagueia dia e noite
Entre as avenidas da cidade
Descendo pelas vielas
Sujas e pardacentas
Até aos parques
Onde todos os meninos
Sem medo uns dos outros
Se reencontram
Para falar dos seus mundos
Diferentes
Pedindo igualdade de direitos
Sem nos amedrontar
Porque não se alimentam
Porque não vão à escola
Hora a hora
Observam todos os meninos
Bem vestidos e limpinhos
Meninos que têm uma infância
Meninos de futuro
Num futuro desigual
Entre todos os meninos
 
Marcolino Duarte Osório
- Peregrino -
2009-07-23
 
publicado por Marcolino Duarte Osorio às 19:46
sinto-me: Que o Sol brilhe para todos!

Marcolino,
Recordações não têm de ser tristezas, estamos de acordo?
Beijo.
Nucha
Nucha a 24 de Julho de 2009 às 22:53

Nucha,
Eu sei..., mas precisava desabafar...!
Marcolino

Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
15
17

19
20
22
24
25

27
29
30


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO