14
Jan 10

Comecei este dia...

 
Depois de acordar
Sem qualquer inspiração
Hoje deu-me para aqui
Abri este PC
Olhei de sítio em sítio
Percorrendo sempre os mesmos
Uns foram actualizados
Com notícias disformes
Outros continuavam mortos
Como se dono não tivessem
Fui ao correio
Dezenas de mensagens
Dos sempre os mesmos
Sem nada para me dar a saber
Nem para conversa ter
Enviam-me Pps
Carregados de coisas e loisas
Umas e outras
Sem qualquer interesse para mim
Nem um Olá como Estás
São capazes de me mandar
Isso sim
Nem ligam ao que me aconteceu
E se não lhes reenvio outros Pps
Excluem-me da sua lista de contactos
Não vá ele já ter morrido
É menos um a carregar os endereços
Endereços dos Amigos Cibernautas
Que de Amigos
Alguma vez o seu perfume existiu
Olhei um a um
Os nomes dos meus contactos
Quantos deles convivem comigo
Pessoalmente
Sem ser por bites e bytes
Cheguei a esta conclusão
Depois de aturada busca
Cá de dentro de mim
Uma voz soou
Qual Trompeta de Jericó
Anda tudo em busca de afectos
Quando seus afectos não são correspondidos
Utilizando a Internete
Como quem com graffiti's
Pinta paredes e tectos
Para assim se sentirem realizados
Depois de acordar
Comecei este dia
A queimar os meus neurónios
 
Marcolino Duarte Osório
- Peregrino -
2010-01-14
publicado por Marcolino Duarte Osorio às 08:13
sinto-me: Fixe

Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

13
16

20

24



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO