31
Mai 10

Estranhamente...

 

Dei comigo

Numa Nova Era

Na Era

Do que já deixou de ser

Dantes

Cultivava-se a Família

Cultivava-se a Amizade

Cultivava-se o Clã

Era ver-nos

Em torno dos mais velhos

Sonhando

Que um dia seria assim

Connosco

Mas os Tempos evoluem

Porque quem inventou

Essa forma de Culto

Teve o tempo do Tempo

Do seu Tempo

Chegado ao fim

Quem a eles sobreviveu

Forçados se viam a esse culto

Uma vez desaparecido o Dogmático Tirano

Há que dar asas livres

A todos os subjugados aos Tiranos

Novas eras entraram em acção

Novos cenários aparecerão

Promovidos pelos Oprimidos aos Tiranos

Depois

O tempo do Tempo do Tempo dos Libertados

Chegará ao fim

Então sim

Outro observador no meu lugar

Estranhamente comunicará

Não sei de que forma

Que deu com ele

Numa Nova Era

Na Era

Do que já deixou de ser

Dantes...

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-05-31

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 02:47
sinto-me: de Bom Coração Coragem...!

27
Mai 10

Fórmulas de Perdoar...

 

Um dia recebi d'alguém

Um perdão deveras original

Por um mal que me foi atribuído

Até hoje ainda estou para saber

Que mal fiz eu na realidade

A Fórmula utilizada

Deveras imaginativa

Deveras Doentia

«Perdoo-te

Mas desaparece da minha vida

Para sempre

Porque medo me causas»

Duvidarei eternamente

Que para mim tenha sido dirigida

Tal ladainha de Perdão

Porque não me recordo

Alguma vez só

De ter ofendido

Quem assim recitou

Tão mal engendrada

Jaculatória de Perdão

Surpreendido

Resolvi perguntar a Deus

Que mal havia eu causado

A tal Filho de Deus

Para receber

Tão ditosa récita de Perdão

O Bom Deus sorrindo-se disse:

Olha meu distraído Peregrino

Também me atribuem culpas

De actos e factos

Jamais por mim pensados...

Mas a ti ainda te perdoam

E a mim...?!

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-05-27

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 19:30
sinto-me: de Bom Coração Coragem...!

Perder alguém...

 

Quem nunca perdeu

Quem nunca foi perdido

Umas vezes por morte

Outras por afastamento

Perder alguém

Um Amigo

Um Familiar

Um Animal de Estimação

Não seria dramático

Se não ficassem marcas eternas

Como quem amputa um membro

Rolam os anos

Uns atrás dos outros

Passam os dias

Sempre com aquela Falta do Membro

Ora com aquela Dor Fantasma

Ora com o vazio dos Afectos

Sempre em sofrimento

Sofrimento da dor constante

Quantas e quantas vezes

Apenas a Doce Morte poderá Libertar

Perder Alguém...

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-05-27

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 11:36
sinto-me: coração Partido...!

Conheço pouca gente...

 

Resguarda-os

Porque fui sempre dado a isso

Há quem diga que me conhece

Sem alguma vez me ter conhecido

Porque a isso foram sempre dados

Que lhes hei-de dizer

Além de os respeitar

Com o melhor que há em mim

Nunca os vendo

Nunca os lendo

Ignorando-os com o meu silêncio

Conheço pouca gente

Resguardo-os

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-05-27

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 06:37
sinto-me: com Bom Coração...!

25
Mai 10

Amar e Gostar...

 

Gostar

Gosta-se porque materializamos

Gosta-se pela perfeição

Gosta-se pelo conjunto

Gosta-se pelo belo

Gosta-se pela irracionalidade

Gosta-se pela posse

Até à últimas consequências

 

Amar

Ama-se sem se saber explicar

Ama-se os que mal nos fazem

Amamos o próximo

Tal-qualmente como Deus nos Ama

Com todos os nossos defeitos

Com todas as nossas virtudes

Porque Amar jamais foi Gostar

 

Mas quanto mais se ama

Menos importa o Gostar

Mais se diluem os seus derivativos...

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-05-25

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 19:45
sinto-me: de bom Coração Coragem...!

23
Mai 10

Repisar...

 

Falar insistentemente

De forma doentia

Sobre Pessoas

Sobre Factos

Sobre Coisas

Sobre Acontecimentos

Sobre Religiões

Sobre Politicas

É fraqueza espiritual

É sinal da necessidade

De Ter

De Ser

De Praticar

Aquilo que se denigre

Tão amiúde

Por quem assim procede

Pensando erradamente

Que os visados

Diminuídos se sentem

Mas foi sempre óptimo

Que Deus nos desse esse prazer

O prazer de os observar

Ser tocado por suas palavras

Ser beliscado palavrosamente

Por Seres Humanos

Criados à sua Imagem e Semelhança

Mas que de tão cobardes que são

Jamais conseguem materializar-se

Movidos pelo Medo

Movidos Pela Cobardia

Sempre na Vã Esperança

Pensando-se tão fortes como a Neoplasia

De que o Invisível

Conseguirá destruir o Visível

São tão fracos de corpos e almas

Que nem conseguem escrever

Que para serem respeitados

Têm que optar por estes caminhos

Mas darem-se ao respeito como?

Se nem Opacos conseguem sê-lo

Quanto mais Translucidos

Muito menos Invisiveis

Porque nem poder conseguem ter!

Deus sorri-se

Nós vamos observando

As suas solitárias procissões

Em perenes dias sem sol

Para não tropeçarem nas suas sombras

Tenham  Bom Coração!

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-05-23

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 17:57
sinto-me: Tenham Bom Coração...!

O Dom de Comunicar...

 

Há pessoas com dons

Mulheres e Homens

Nascem com certos dons

Uma vez soltos

Desproibidos

Desenvolvidos

Servem a muitos outros humanos

Um dos Dons mais úteis

É o Dom de podermos comunicar

Uns fazem-nos pela Fala

Outros fazem-no pela Escrita

Por vezes utilizam o discurso directo

Outros a terceira pessoa

Quer do singular

Quer do plural

Por mais ficcionados que sejam os temas

Por baseados em factos da vida real

De outros seres humanos

O discurso directo

Torna-se

Aos olhos dos malformados

Aos olhos dos mal-intencionados

Aos olhos dos fracos

Numa fonte de críticas mal dizentes

Mas é sempre no discurso directo

Que se leva a Mensagem

De forma mais pura

Na primeira pessoa do singular

Os medrosos

Fogem a este sistema de comunicar

Ou não escrevendo

Na primeira pessoa do singular

Ou usando pseudónimos

Quem

Além de Deus

Nos poderá proibir de comunicar

Da forma como fazemos?

Se este é o nosso discurso de hoje

É porque ficamos com pena

De muita

Mas mesmo de muita gente

Com vivencias extraordinárias

Que poderiam servir

Como pontos de partida

Para ajudar terceiros

Na resolução de certos problemas

Para os quais ainda alguém

Ousou Comunicar

Quer em discurso

Quer por escrito

Escrever é mais que um acto nobre

É um Acto de Bom Coração

Que se faz de Bom Coração

Quando se faz com bom Coração Coragem

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-05-23

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 01:58
sinto-me: de bom coração coragem...!

21
Mai 10

 

 

 

 

Eles são dois Amigos...

 

Que de longa data se conhecem

Vidas iguais

Trajectos bem diferentes

Jamais se dizem que não

Apesar de amuarem um com o outro

Quando estão em completo desacordo

Um deles

Cega-se de fúrias

Achando-se sempre com toda a razão

O outro

Mais ameno por meio cego

Procura ser o equilíbrio entre ambos

Eles são dois Amigos

Mais amigos que dois irmãos

Um deles à refeição

Deixa ficar sempre um pouco na travessa

Alegando que não tem fome

Para que o outro seu Amigo coma e engorde

Partilham-se naquilo que o devem fazer

Oh deuses do Olimpo

Sexo é só com eles

Cada qual o mais garanhão

Nunca deixam créditos por mãos alheias

Um gosta de contar estórias

Inventa até mais não

Porque o outro como conduz

Necessita deste alimento

Para ao volante não adormecer

Mulheres feias e mulheres bonitas

Não existem

Desde que tenham bem desenvoltos

Peitorais e nadegueiros

Brincam um com o outro

Como os meninos de rua

Gémeos da mesma mãe

Filhos de pais diferentes

A sua Mãe é o seu Bom Coração

Os seus pais são os seus diferentes feitios

Continuemos a ter Bom Coração!

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-05-21

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 04:54
sinto-me: Tenham um Bom Coração...!

 

Poeta ... Poeta ... Acorda...

 

Deixaste-te adormecer

Levanta-te da tua enxerga

E canta ao teu Novo Mundo

Coisas lindas que lá tens dentro

Jamais te importes com o teu Passado

Esses emperros no teu passado

Jamais te ajudarão a Poetar

Amordaçar-te-ão por inteiro

Paralisar-te-ão a mão escrevente

Cegar-te-ão perigosamente o teu novo olhar

Abre de vez a tal Porta

A Porta da Diáspora em que exilaram

Salta cá para fora sem olhar para trás

Quem te encerrou na Masmorra da Diáspora

Escondeu-te bem demais as Chaves

Nas lamas das suas injustiças

Mas Deus é Grande para Ti

Jamais te deixará encarcerar de novo

De Pensamentos

De Desejos

De actos

Por isso te deu Esta Chave Invisível

A tua Inteligência

O teu Bom Coração Coragem

Para que por ti mesmo

Das Catacumbas da tua Diáspora

Saltes cá para fora

Deixes de vegetar

Passes a Viver Globalmente

Esquecendo-te de quem muito amaste

Mas te humilhou

Ainda se faz esquecido de ti

Negando-te acintosamente

Abrigo

Agasalho

Afectos

Alimentos

Aquilo com que nunca lhes faltastes

Corre sempre em frente

Deixa esvoaçar as linhas da tua poesia

Deixa-as serem elas mesmas

Desrimadas

Ritmadas

Plenas do Bom Coração

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-05-21

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 00:03
sinto-me: desejarvos um Bom Coração!

17
Mai 10

 

 

Achados e Perdidos...

 

Como se de coisas se tratassem

Tratam-se todos os seres humanos

Como se achados e perdidos fossem

Hoje ama-se

Amanhã desama-se

Achados e perdidos se tornaram

Filhos em casa dos pais

Filhos sem trabalho nem proventos

Casa paterna é um achado

Novos tempos arribam

Com bons proventos nas redes

Logo os filhos seguem o seu rumo

Casa Paterna se tornou num Perdido

Homens e Mulheres se acham

Amam-se até se fartarem

Na saúde se mantêm unidos

Na doença se abandonam

Na riqueza não se largam

Na pobreza dá um chega para lá

Mesmo que um deles fique na indigência

Passaram a desconhecer-se

Tornaram-se desligados e perdidos

Achados e Perdidos

Perdidos dos Achados

Achados bem-amados

Perdidos amaldiçoados

Perdidos e achados

Entre todos os humanos

É trepar por escadote

De madeira linda envernizada

Com degraus minados apodrecidos

Por mais cautelas que se tomem

O tombo será grande demais

Para quem nele acreditou

Familias destas abundam

Como Portos sem Abrigo

No Mundo dos Corações Empedernidos

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-05-17

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 20:31
sinto-me: a ter um Bom Coração...!

Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12

18
19
20
22

24
26
28
29

30


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO