31
Dez 10

  

Este ano que termina...

 

Para mim

E a meu ver e sentir

Dentro de todo o meu Ser

Foi um ano próspero em tudo

Trouxe-me alegrias sem fim

Trouxe-me a boa saúde de novo

Trouxe-me ainda mais amigos

Trouxe-me ainda renovados encantos

Durante este ano que termina

Apreendi a viver ainda mais frugalmente

Porque se me restavam dúvidas

Sobre se a minha reforma chegaria

Deitei mãos à obra

Cortei criteriosamente

Tudo aquilo que ainda considerei supérfluo

Deixando-me interiormente

Aquele sabor de uma grande vitória

Depois deste ano terminar

E num novo me inserir

Confesso-vos queridos leitores

Que quem desejar falar comigo

Terá isso sim que aprender a ser frugal

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-12-31

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 01:48
sinto-me: renovado...!!!

28
Dez 10

 

Entrei num Templo de Deus...

 

Resolvi questiona-me sobre a minha vida

Recuei tempos infindos

Para o antes do meu nascimento

Mas de nada me serviu

Porque o antes de nada me alimenta

Tanto aquilo que foi muito bom

Como tudo quanto foi muito mau

Bem vistas as coisas

Tanto o bom como o mau

São presenças de Deus na minha vida

Que me deu a saber

Que se olhar tudo e todos

Com Amor Fraternal Universal

Jamais me sentirei beneficiado

Jamais me sentirei castigado

Porque tudo aquilo que passei

Tudo o mais que irei passar

São Dons de Deus

Para o meu aperfeiçoamento espiritual

Olhando assim o meu Passado

O meu Presente se adoçou bem mais

Para que no Futuro eu seja bem melhor

No trato com todos os Seres Humanos

Tão Filhos de Deus

Como este que vos escreve

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-12-28

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 04:30
sinto-me: muitissimo feliz...!

27
Dez 10

 

Mas qual o prazer...

 

Sentido por alguém

Ao desfazer um agregado familiar

Separando os pais dos filhos

Por mais voltas que dê

Jamais conseguirei encontrar a resposta

Mas uma resposta isenta acertada e ajuizada

Falei nisto a Deus

Ele descompôs-me porque o meu desejo de o saber

Era mais para castigar do que para ajudar

Hoje de manhã vi pela TV um re-encontro

Entre um Pai e um Filho desligados um do outro

Por alguém cujo nome não foi revelado

Este jovem com apenas 29 anos

Fez de si um verdadeiro Homem

Ao dizer-nos apenas isto

Se quem fez tudo por tudo para nos separar

Perdeu esta sua guerra sem tréguas

Que tal como todas as guerras

Em todos deixa marcas profundas

Das longas noites plenas de insónias

Nos Filhos separados dos Pais

Nos Pais separados dos Filhos

Cada qual silenciando dentro de si

O grande apelo de se voltarem a reunir em Família

Com medos infundados de que quem os fez separar

Os possa retaliar

Mas como sempre ouvi dizer

Não há bem que sempre dure

Nem mal que perdure

Quando se perde uma Guerra

Quem a vence

Tem por dever e obrigação Cristã

Tratar com Grande Humildade todos os Vencidos

Nunca por nunca retribuir com maldades

Todas as maldades nas suas peles sofridas

Porque esse foi sempre o Lema de um Deus feito de Amor

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-12-27

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 13:36
sinto-me: a unir certas familias...!!!

25
Dez 10

 

Natal...não só mais um Aniversário...

 

Sim

O Natal é mais um Aniversário

De um dos Homens

Mais queridos

Mais Humanos

Mais Justos

Mais Sofridos

A quem Assassinaram

Crucificando-o numa Cruz de Madeira

Volvidos 2010 anos sobre o seu Nascimento

A 25 de Dezembro

Todos O lembramos de passagem apenas

Estando muito mais interessados

Em ver quem nos deu a melhor prendinha

Darmos beijinhos muito agradecidos

A quem nos presenteou neste Dia de Aniversário

Que não o nosso

Mas sim do de Jesus de Nazaré

Às doze badaladas em ponto

Todos correm ao Monte das Prendinhas

Num frenesim espalhafatoso

Desembrulhando atabalhoadamente

Cada prenda com o seu nome

Entre todos se tecem agradecimentos

Mas a quem nos fez ali estar reunidos

Nem nos lembramos egoisticamente

De lhe cantar

Os Parabéns a Você

De mãos dadas em circulo

À volta dessa tão lendária figura

Crucificada pela malquerença dos humanos

Jesus de Nazaré veio ao Mundo para nos dar a saber

Que dentro de cada um de nós existe um Mar de Afetos

Aberto a todos e não somente a quem o desejamos abrir

Cantemos então de mãos dadas os Parabéns a Jesus de Nazaré

Desejando-lhe muita e muita da sua presença entre nós

Não apenas neste dia do seu Aniversário

Mas também diariamente

Para que sejamos mais Solidários e Afetuosos

Do que até então ousamos ser apenas

Numa data fixa de todos os Dezembros

Para que nos deixemos de crucificar quem nos Ama

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-12-25

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 19:08
sinto-me: a dar os Parabéns a Jesus

24
Dez 10

 

 

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 08:37
sinto-me: a desejar-vos um Feliz Natal!

22
Dez 10

 

O Presépio...

 

Um dia já há muito passado

Montávamos um Presépio de barro cru

Eu e uma das minhas filhotas

Dispúnhamos as respetivas figuras

De acordo com as dos Presépios pintados

Repentinamente o nosso silêncio foi quebrado

Porque da sua cabecita resolver questionar-me

Se aquilo que estávamos a fazer

Tinha alguma coisa a ver com a Sagrada Família

Tu o que achas questionei-a

Oh Pai já reparaste que é mesmo uma Família

Tem um Homem que é o São José Carpinteiro

Tem uma Mulher que é a Nossa Senhora

Tem um Menino que é o Menino Jesus

E os animais que fazem por aqui

Perguntei jocoso

Oh Pai lá estás tu a brincar com esta cena

Mas então explica-me lá

Como estava muito frio e recolhidos num estábulo

Aproveitaram-se da sua presença para se aquecerem

Achas que foram uma Família Feliz

Perguntei meio curioso

Oh paizinho cá por mim até foram bem felizes

Apesar de não estar escrito no meu Catecismo

Olha cá minha filhota que achas mais deles

Olhando as figuras de barro cru

Desenhou com ambas as mãos uma espécie de cúpula

E acrescentou

Sim vejo-os muito juntos e sempre unidos

Não existe nada mas mesmo nada que os possa separar

Representam mesmo uma Família Sagrada e Abençoada

Timidamente me questionou

E tu paisocas que pensas do que eu te disse

Olha minha filhota querida

Quer acredites quer não

Foi a primeira vez na minha vida que me ensinaram

Tudo aquilo que representa um Presépio

A sua Força e União dentro de todas as Famílias

Mereces mesmo um beijinho de Presépio…!

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-12-22

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 19:51
sinto-me: bem feliz neste Natal...!!!

 

De onde me vem tanta Força...

 

Vem precisamente

De dentro de dois velhos Provérbios

Que juntos vos dão a saber em uníssono

Que nada daquilo que vos escrevo

Pode ser tal-qualmente imaginais

Vejamos então

Como trabalham certas artes imaginativas

Dentro de cada qual

 

De onde me vem tamanha Força

Perguntei um dia destes a Deus

Ele apenas me respondeu

A tua Fé pode Mover Montanhas

Mas alto lá

Com aquelas Montanhas que escolhes

Podes crer que umas estarão fixas inamovíveis

Enquanto que outras

Feitas de areias movediças

Somente te darão trabalhos redobrados

Para no final dizeres lá para contigo

Para quê tamanho esforço

Quando este monte de areia nem ratos pare

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-12-22

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 02:28
sinto-me: bem feliz...!!!

19
Dez 10

 

Viver sozinho...

 

Vai-nos mostrando dia-a-dia

Que amanhã seremos bem mais fortes

Daquilo que ontem e hoje fomos

Há 12 anos decretei ficar neste estado

Uma vez que achei por melhor

Fazer ver a mim mesmo

Que sempre fui bem mais forte e seguro

Daquilo que me poderia imaginar

Tive que enfrentar a sós

Uma série de calúnias que me foram dirigidas

Venci e saí altamente reforçado

Tive que enfrentar a sós

Fortes dificuldades económicas caídas do céu

Venci e saí altamente reforçado

Tive que enfrentar a sós

Fortes dificuldades da minha doença nos olhos

Venci e saí altamente reforçado

Tive que enfrentar a sós

Cancro no intestino delgado e no nariz

Venci e saí altamente reforçado

Anteontem depois do jantar

Sentado a ver televisão

Fui acometido de uma dor profunda no peito

Levantei-me

Senti-me empalidecer

De nada mais me recordo

Não sei quanto tempo depois acordei

Deitado de costas no chão

Corpo gelado

Passei minhas dormentes mãos pelo rosto

Sentia-o gelado e dormente como uma placa de cortiça

Tentei levantar-me

O que me foi impossível fazer

Disse cá para comigo

Não entres em pânico

Não embarques nesse comboio do desespero

Tinha ainda pendurado ao pescoço o telemóvel

Rastejei até à porta de entrada

Puxei o cordel preso ao manipulo

Deixei que a porta ficasse entreaberta

Carreguei na tecla 2 do meu telemóvel

De imediato fui atendido pelo INEM

Desfeitas certas dúvidas

Chegaram em menos de 10 minutos a mim

Fui socorrido

Fui levado para as Urgências

Fiquei em Observação

Hoje ao final do dia regressei a minha casa

Sinto-me fraco e dorido

Mas também me sinto altamente feliz

Porque tive que enfrentar tudo isto a sós

E mais uma vez venci e saí altamente reforçado

Este ano foi a melhor prenda de Natal que tive

Viver sozinho

Vai-nos mostrando dia-a-dia

Que amanhã seremos bem mais fortes

Daquilo que ontem e hoje fomos

Quem vive sozinho seja porque motivos forem

Não merece ser digno de comiseração

Porque foi e será eternamente

Aquele Ser Escolhido e designado por Deus

Para nos mostrar a todos

Que o nosso Bom Deus

Jamais abandonará quem assim vive livremente

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-12-19

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 02:36
sinto-me: de coração coragem muito forte

15
Dez 10

 

Oh Deus...

 

Sabes

Hoje estou meio amuado

Não sei bem aquilo que quero

Ando de um lado para o outro

Indeciso dentro de mim

Em busca da tal de Coragem

Para saber Perdoar

Perdoar acreditando

Perdoar com Amor

Perdoar pleno de Afetos

Perdoar sem segundas intenções

Perdoar sem ódios latentes

Perdoar sem rancores em vigília

Perdoar como eu gostaria de o ser

Perdoado sem me sentir magoado

Perdoado sem me sentir humilhado

Perdoado sem lágrimas do remorso

Perdoar com o Amor do Perdão

Perdoar segurando as mãos de quem perdoo

Olhando olhos nos olhos

Com grande mansidão da Alma

Dizer-lhe tranquilamente

Perdoo-te como Deus deseja que o faça

Jamais para te ferir

Sim para poderes ainda ser bem mais feliz

E a Voz de Deus sussurrou-me

Estás à espera de quê meu amado filho

Mete-te a Caminho e vai perdoar-lhes

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-12-15

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 23:50
sinto-me: com coragem para te perdoar!
tags: , , ,

14
Dez 10

 

Preocupar certo Amigo certo...

 

Que me conhece há já 58 anos

Parece que virou cena diária

Porque me esqueço sempre

Puro desleixo apenas e mais nada

De levar o telemóvel comigo

Vá para onde for

Fomos sempre despreocupados

Reinadios e estouvados

Acima de tudo e todos

Amigos e Cúmplices inseparáveis

Para o ano ele já faz setenta

E eu os que ele já tem hoje

Já nos vimos em palpos de aranha

No Liceu

No Desporto

Na Guerra

Na Vida

Na saúde

Tudo superámos com alegria e pés ligeiros

Mas hoje sentimo-nos bem mais perto do fim

Olhamo-nos nos olhos interrogativamente

Como que tentando adivinhar

Onde

Quando

Como

Nossos corpos belos e atléticos d'outrora

Foram tomados pela velhice do muito e mau uso

Nossas memórias pregam-nos partidas

Falham de quando em vez

Olha pá

Aquele velho ali sentado foi nosso colega no Liceu

Diz um

Nosso colega no Liceu ... deves estar a delirar

Diz o outro

Grande apagão te está a dar

Diz o primeiro

Então vamos lá perguntar se é ou não quem pensamos

Frente ao Desconhecido

Curiosamente olhando de frente para nós dois

Lá fizemos a tal pergunta sacramental destas ocasiões

N Ã O...!

Respondeu secamente como que correndo connosco...

De sorrisos amarelos regressados aos nossos lugares

Chamamos o garçon para nos servir mais dois uísques

Não só para ajudar a digerir a almoçarada

E já agora porque não o N Ã O do tal Desconhecido

Mas também para nos soltar as línguas

E faze-las contar coisas e loisas daqueles tempos do Liceu

O tal do N Ã O lá partiu rumo à porta

Ainda hoje estamos para saber se seria ou não o tal colega

Nossas memórias pregam-nos partidas

Falham de quando em vez

Nossos estômagos também

Já não digerem como o faziam dantes

Há que comprar pastilhas digestivas para azia quebrar

Olá cá meu Amigão

Não leves a mal esquecer-me do telemóvel

P R O M E T O

De agora em diante levá-lo sempre comigo

Para saber qual dos dois morreu primeiro

A propósito

Quando voltamos ao Torrão

Para uma belíssima Carne de Porco Preto, à Alentejana

Regada com o belo Borba

Como digestivo o nosso Logan

Fica descansado que levarei as pastilhas

E também o meu telemóvel...!!!

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-12-14

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 00:23
sinto-me: amigo deste amigo Certinho...!

Dezembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

12
16
17
18

20
21
23

26
29
30


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO