31
Jul 11

 

Corações ao Alto...

 

Corações ao Alto

Haja Verdade nas atitudes humanas

Haja Pensamento concretizado

Pela Palavra dita

Para quem desejamos excluir da nossa vida

Sem ódios contidos

Para preservarmos o nosso Amor-Próprio

Para boa sanidade mental de ambas as partes

Esta tarde fui confrontado com um diálogo

Duro mas não agreste pleno de Verdade

Entre dois seres humanos vitimas um do outro

Suplicava um deles sem lágrimas mas firme

Para meu bem não tornes aparecer-me à frente

Pensei que o outro ser iria reagir muito mal

Mas ficou sereno expectante de olhar inteligente

Frente a frente com quem lhe fazia tal súplica

Nem um beijo nem um abraço nem um aperto de mão

Quem assim falou saiu lentamente intranquilo

Quem ficou suspirou murmurando com tristeza

Finalmente falou a Verdade para resolver a nossa vida

Em pensamento desejei que existisse Luz nas suas Vidas

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2011-07-31

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 00:38
sinto-me: FEliz...!

26
Jul 11

Imagem recolhida na Internete

 

Se eu soubesse ser Avô...

 

Iria de mãos dadas com os meus netinhos

Passear alegremente pelas ruas de Lisboa

Andaríamos curiosos nos Elétricos Amarelos

Daríamos uma grande volta pela cidade

Naqueles Autocarros Vermelhos descapotáveis

Desceríamos em Belém para navegar num Cacilheiro

Rodeados de gaivotas barulhentas saudando-nos

Tejo acima lancharíamos as nossas Merendas

Os meus grandes e velhos dedos

Apontariam lá para longe onde está o Cristo Rei

À esquerda

Erguia-se o colorido e garrido o casario de Lisboa

Olhando lá para o cimo da Colina o velho Castelo Mourisco

À direita

Entre a vermelha Ponte 25 de Abril e a branca Vasco da Gama

Além do Cristo Rei distribuem-se pela bela margem

Cacilhas Barreiro e o Montijo

À esquerda de novo

Oolhariamos o monumental Parque das Nações

O irrequieto Cacilheiro ali atracaria para lá desembarcarmos

Numa correria própria da vossa juventude

Iriam arranjar lugar lá para o McDonald's

Quando lá chegasse meio cansadote

Já estavam duas mesas ocupadas por vocês

E um lugar especial para o avozinho sempre vagaroso

Seria comer e tagarelar como um bando de pardais à solta

Olharia para o relógio

Olharia para vocês

Nossos olhares seriam já de saudades

As horas teriam corrido muito rápidas

Telefonaria aos vossos paisocas para vos virem buscar

Seria bom ver-vos nos dois carros vocês acenarem-me felizes

Entretanto passei do sonho à realidade

Preparava-me para ir apanhar o Metro

Quando alguém muito jovem me pediu dinheiro para comer

Era um dos muitos meninos daquelas ruas de dias dificeis

Sem avós disponiveis nem pais presentes

Reentrei no Parque das Nações

Arranjamos dois lugares na Só Peso

Deixei-o servir-se à sua vontade

Acompanhei-o apenas com uma sopa quentinha

Pouco ou nada falámos

Ele fixava-se na comida que tinha à frente meio ausente

Eu olhava-o com satisfação de quem dá incondicionalmente

Depois de se levantar da mesa deu-me um beijo na face

E disse-me baixinho: Gostava de ter um avô como você

Dissemos adeus um ao outro acenando nossas mãos

Desaparecemos pelo meio daquele mar de gente

Talvez um dia destes nos voltemos a encontrar

Para poder fingir de ser Avô outra vez daquele menino

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2011-07-26

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 22:34
sinto-me: de coração cheio de felicidade

22
Jul 11

Imagem recolhida na Internete

 

Se eu soubesse ser Poeta...

 

Se eu soubesse ser Poeta

Descreveria toda a tua beleza com palavras

Em vez de a desenhar com rabiscos

Ou fixa-la na minha máquina digital

Se eu soubesse ser poeta

Dir-te-ia quanta formosura me mostras

Descrever-te-ia quanta beleza encerras tu

Seria capaz de as desenhar num quadro a sós

Quando acordasses manhã cedinho

Sob os meus beijos doces plenos de amor

Desejando dar-te o melhor do meu eu por ti

Beijar-te-ia os olhos docemente

Afagar-te-ia as faces com beijos mornos

Saborear-te-ia de cima abaixo um a um

Com beijos quentes e demolidores

Da frieza das tuas emoções reprimidas

Se eu soubesse ser Poeta

Ter-te-ia tido para sempre eternamente

Como o meu Amor sempre presente

Como aquela a quem sempre desejei amar

Naquele mundo de de pensamentos em turbilhão

Como torrentes incandescentes de amor sem fronteiras

Se eu soubesse ser Poeta

Em vez de te descrever como o tenho estado afazer

Viver-te-ia para sempre dentro e fora de mim

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2011-07-22

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 01:29
sinto-me: decoração pleno de amor...!

21
Jul 11

Imagem recilhida na Internete

 

Vulnerabilidade...

 

Vulnerabilidade

Foi o que passei a sentir

Na minha pequenez Universal

Dantes não existiam perigos à solta

Que me viessem tocar

Porque era forte e de porte atlético

Hoje sinto-os tantos e demais

Que me confino ao mundo caseiro

Porque o meu corpo já não é o que foi

Minhas forças se debilitaram

Qualquer empurrão me desequilibra

Para numa queda ficar de ossos partidos

Minha mente ainda está fresca e arguta

Por isso ao meu velho corpo lhe diz

Resguarda-te em quanto é tempo

Não vaz ficar prisioneiro eternamente

Numa cadeira de rodas

Porque ato de vandalismo de desconhecido

Se usou da tua atual vulnerabilidade

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2011-07-21

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 11:07
sinto-me: mais cauteloso...!!!

15
Jul 11

Imagem recolhida na Internete

 

Medir aptidões pela mesma bitola...

 

Medir aptidões pela mesma bitola

Deu sempre asneira e da grossa

Porque aptidões são dons de Deus

Nunca imposições dos humanos

Como se de objetos se tratassem

Cresci nesse mundo estranho

Onde era apto

Quem estava dentro das bitolas

Preestabelecidas

Onde era inapto

Quem fora das bitolas estava

Acima dos parâmetros padronizados

Logo se diz

Olhai temos algo fora do normal

Abaixo dos tais parâmetros normalizados

Lá vamos aturando

Homessa estes são burros de todo

Escrevo isto porque anda tudo escandalizado

Porque os alunos são burros a Matemática

Porque todos são burros a Português

Porque pelos humanos lhes foi exigido serem bons

Em tudo aquilo a que nunca tiveram aptidões inatas

Sei que sou controverso

Mas também sei andar na Vida

Dentro daquilo que de Deus recebi

Bem fora das bitolas dos humanos desumanizadores

Ao quererem igualar quem igual nunca poderá ser

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2011-07-15

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 09:10
sinto-me: a sorrir com estas bitolas...!

14
Jul 11

 

Amanheceu assim...

 

Amanheceu assim

No dia do meu aniversário

Amanheceu lindíssimo

Tal como desejava que o dia fosse

Mas com o passar das horas

Muita coisa linda e boa aconteceu

Os telefonemas eram mais de mil

As alegres parabenizações sucediam-se

Quase fiquei sem carga na bateria do telemóvel

À noite quando liguei este computador

Fi-lo para olhar certos e-mail's

Depois entrei no Facebook

Onde uma enchente de presenças amigas diárias

Me davam a saber que todos sem exceções

Me estimavam e se sentiam bem comigo

Fiquei comovido com esta manifestação de afetos

Deu para repensar a minha vida futura

Deu para atirar borda fora

Todos os Fantasmas do meu Passado

Que ainda moravam dentro de mim

Amanheceu assim

No dia deste meu aniversário

Em que Deus me deu a saber quão amado sempre fui

Por Amigos

Por Conhecidos

Por Familiares

Amanheceu assim

No dia do meu aniversário

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2011-07-14

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 07:10
sinto-me: pleno de Felicidade...!!!

07
Jul 11

Imagem recolhida na Internete

 

Lutar por quem se ama...

 

Lutar por quem se ama

Quanta dor isso acarreta

Quando se ama profundamente

Quem profundamente nos desama

Pediram-me para desistir de amar

Quem me amou

E amor deixou por mim de sentir

Pedir a alguém para deixar de amar

É mais que cortar cerce braços e pernas

É pedirem-me para a Deus suplicar

Que o Dom de Amar me seja retirado

Quanta dor me foi infligida pelo desamor

Até que um dia Deus me deu a saber

Que o meu sofrimento de ser desamado

Me levaria à Morte Lenta

Para gáudio de quem desamar se aventurou

Aí parei depois de a Deus ter Escutado

Porque jamais entregarei minha Vida

A tal Vil Sacrifício no Altar do Desamor

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2011-07-07

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 07:02
sinto-me: que Deus é grande e não dorme!

06
Jul 11

Imagem recolhida na Internete

 

Antes eles do que Eu...

 

Antes eles do que Eu

Foi o que se me ocorreu

Quando de certas mortes escutei

Selvagem dirão uns

Despudorado gritarão outros

Insensível gemerão alguns

Herege os mais ligados ao catolicismo

Repito

Antes eles do que eu

E porquê...

Porque de mim jamais se lembraram

Nem sequer sabiam da minha existência

Mal sabiam deles próprios

Quanto mais daqueles em quem mandavam

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2011-07-06

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 22:19
sinto-me: Com ,uita vontade de Viver!

03
Jul 11

Imagem recolhida na Internete

 

Exercício Físico...

 

Exercício Físico

A Natação foi o meu predileto

Comecei a nadar por acidente

Numa brincadeira desventurada

Teria seis anitos não mais

Escorreguei para um fundão

De cada vez que vinha ao cimo da água

Esbracejava sem parar

E como não era chegada a minha hora

De tanto esbracejar

Acabei por alcançar terra firme

Agarraram-me e deitaram-me de lado

Acabei for soltar golfadas de água engolida

Estava tonto medroso agoniado e chorava muito

Minha casa era bem perto dali e até lá me levaram

Minha Mãe calmou seu pânico e mimou-me muito

Era o que eu mais necessitava mimos e afetos

Dois dias depois dei comigo a tentar nadar

Numa zona com água pelos meus joelhos

Um primo empurrou-me para uma zona mais funda

Enervei-me mas esbracejei menos desajeitado

Nesse dia aprendi a nadar crawl e a flutuar de costas

Era muito ágil aventureiro e até tinha boa braçada

No ano seguinte entrava pela mão do meu Pai

Na nossa Piscina Municipal para me tornar nadador

Rapidamente tornei-me ganhador em competições

Fui somando medalhas e taças até aos meu 23 anos

Fui nadador Federado do Sport Algés e Dafundo

Fui treinado pelo japonês Shintaro Yokochi aos 15 anos

Foi uma autentica reviravolta positiva na minha performance

Fui confrontado com o máximo as minhas capacidades físicas

Entretanto os anos passaram depressa

A Natação ... essa nunca deixei de a praticar era a minha praia

Hoje fui-me reinscrever na Piscina de Santo António dos Cavaleiros

Amanhã irei recomeçar a minha Natação Livre 3 vezes por semana

Faço isto por mim

Necessito ajudar a atuação certos medicamentos equilibradores

Da Diabetes

Do Colesterol

Dos Triglicéridos

Necessito de concretizar ainda mais a minha perca de peso

Dos 102 quilos já baixei para os 92

Agora estou apostado a chegar pelo menos aos 80

Quero lá chegar até finais de Setembro

Vontade motivação e tempo existem

Estou numa nova Competição desta fase da minha Vida

Não quero ser de novo um Campeão

Desejo apenas reconquistar um Grande Troféu

A Invencibilidade da minha Saúde Corporal aos 69 anos

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2011-07-03

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 23:05
sinto-me: Vou vencer...!!!

Julho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
16

17
18
19
20
23

24
25
27
28
29
30



subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO