04
Fev 10

Sentado à beira Tagus...

 
Olhando mansamente
Suas águas correrem livremente
Em direcção às águas Atlânticas
De braços fortes e firmes estendidos
Para as acolherem em longo amplexo
No final de uma ininterrupta Vida
Ora Mansa
Ora Meandrica
Ora em Rápidos
Acabando num Estuário
Sem dor nem estertor
Desde a sua Nascente
Até a este singelo e glorioso ocaso
Como se de um dos Céus se tratasse
 
Marcolino Duarte Osório
- Peregrino -
2010-02-04
publicado por Marcolino Duarte Osorio às 00:41
sinto-me: A tomar um café com alguém!
tags:

Olá Marcolino,

Lindo este seu Poema!

Continue a encantar-nos com os seus Poemas, as suas Histórias, tornando esta nossa blogosfera num espaço muito mais leve e sorridente!

Abraço

Maria José
Maria José a 4 de Fevereiro de 2010 às 09:56

Olá, Maria José!

Boa sorte para hoje!

Abraço,
Marcolino
©Marcolino Duarte Osorio a 5 de Fevereiro de 2010 às 07:48

Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
20

21
22
23
26
27



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO