04
Mar 10

As Nossas Diferenças...

 
Ambos nascemos
Para os nossos dia-a-dia
Tivemos Pai e Mãe
Progenitores por excelência
Tivemos percursos diferentes
Diferentes gostos e aventuras
Tudo isto é Fado
Fado escrito por ti
Cantado e declamado
Por vozes lindas e trinadas
Tudo isto é Vida
Vida poetada por mim
Nem cantada nem declamada
Por vozes de outros seres
Ambos tivemos uma Vida para viver
A ti nunca mossa nem sombra te fiz
A mim sempre me leste com desdém
Tirando partido do meu português
Criticando-me em Fado à Desgarrada
Para te mostrares maior que todos
Hoje olhei para o cemitério
Lembrei-me de ti
Entrei
Fui até à tua campa rasa
Nem Guitarras nem Fadistas
Por ali se escutavam
Porque deixaste de existir
Como Poeta de Fadistas
Apenas o gotejar da chuva
Como lágrimas de arrependimento
Por tanto tormento
A muitos e a mim teres feito passar
Desejei perdoar-te sem rima
Com esta flor da minha poetagem
Livre e selvagem como o seu dono
Colocada sobre a tua campa
Com um abraço do Peregrino
 
Marcolino Duarte Osório
- Peregrino -
2010-03-03
publicado por Marcolino Duarte Osorio às 11:17
sinto-me: De coração coragem pleno!

Senhor Osório!

Tem a Mão de Deus, esta sua poesia, de certeza que é uma das mais lindas que já o vi dar ao Mundo, desde que começou a escrever poesia!

Cumprimentos meus e do meu esposo,

Aurora

Aurora Fernandes a 4 de Março de 2010 às 11:21

Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19

21
23
27

28
29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO