06
Mar 10

Chovia...

 
Chovia copiosamente
Assomei à porta
Via do céu jorrarem bátegas
Caindo em cima dos carros
Com aquele enorme barulho
Semelhante a das areias
Aquelas areias grossas
As areias de aluvião
Lançadas por mãos expeditas
Por cima das chapas de zinco
Vindos de Sul
Os clarões iluminavam
Esta bela noite lisboeta
Transformavam em fantasmas
Prédios e casas
Candeeiros e árvores
Que fugiam espantados
Com o ribombar dos trovões
Suspirei
Olhei para mim mesmo
Imaginei-me outrora
Dentro do meu carro
Abrindo caminho
Dentro das bátegas de água
Como se sulcasse mares imensos
Em busca do meu pecúlio
Para aos meus sustentar
Dando-lhes
Cama mesa roupa vestida
Para que um dia
Bem mais tarde
Se recordassem de mim
E das minhas longas ausências
Não como um aventureiro
Mas sim como um pai obreiro
 
Marcolino Duarte Osório
- Peregrino -
2010-03-06
publicado por Marcolino Duarte Osorio às 02:52
sinto-me: muitissimo feliz...!

Marcolino:
Espero que tenha sido assim, como desejava.
Se bem que, quanto mais vivo, mais me confronto com a dura constatação de que ninguém valoriza (e entende?) certos sacrifícios...
Abraço de bom Domingo
Marta M
Marta M a 6 de Março de 2010 às 22:40

Olá Marta!
Nem sempre, tudo aquilo que desejamos, se concretiza...
Óptimo domingo!
Abraço
Marcolino
©Marcolino Duarte Osorio a 7 de Março de 2010 às 01:03

Olá Marcolino!

Excelente dia para si!

Espero que esteja tudo bem consigo!

Gostei deste seu Poema, mostra o Sacrifício de um Homem, de um Pai para sustentar a sua prole. Os bons pais são assim... Tal como a Marta referiu, nem sempre os filhos reconhecem os sacrifícios que os pais fazem por eles, às vezes, mimados, querem sempre mais e mais...! É uma situação corrente nos dias de hoje! Cabe aos pais gerir a situação com algum discernimento e bom senso!

Bem, Abraço!

P.S: Vou tentar passar por aqui mais vezes, porque é um Cantinho do qual gosto muito!

Maria José
Maria José a 11 de Março de 2010 às 07:52

Olá, Maria José!
Bem vinda, de novo, a este cantinho, como tão bem o apelida. É o meu refugio, contando coisas e loisas, dos nossos quotidianos. Passe sempre que desejar e deixe o seu comentário!
Abraço
Marcolino
©Marcolino Duarte Osorio a 11 de Março de 2010 às 08:37

Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19

21
23
27

28
29


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO