06
Abr 10

Um saco Vagabundo...

 

Perdido algures

Pelos Caminhos da Vagabundagem

Deu que falar

A dois amigos de longa data

Um deles até era o Dono

O outro o Fiel Depositário

Ambos de candeias às avessas

Resolveram discutir

Pela posse desse tal de Saco

Saco de um deles

Ao outro fez ficar de saco cheio

Resolveram tornarem-se de razões

E aquele tal de Saco

Vagabundeou entre ambos

Até que os dois

Exigentes um com o outro

Tornaram ainda mais apetitoso

O desfecho desta história

Já que ambos se negavam a encontrar-se

Há que entregar este Vagabundo Saco

A um Policia de Giro

Que como árbitro

Resolveu entregar ao outro Vagabundo

O tal que foi sempre dono e senhor

Deste tal de Vagabundo Saco

Esta história é verídica

 Passada entre dois Velhos Amigos

Companheiros de Vagabundagem

Dentro de um carro de negra côr

Sem marca do fabricante

Nem pneus de boa marca

Apenas um Carro Vagabundo

Que a estes dois Amigos da Vagabundagem

Serviu sempre de escritório

Algumas vezes faz de dormitório

Armazém de Sacos Vagabundos

Muitas e muitas vezes

Pomo de discórdia

Usual entre dois Vagabundos

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-04-06

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 00:14
sinto-me: santo da vagabundagem...

Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

20
21
22
24

26
28


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO