09
Abr 10

Um calor primaveril...

 

Fez-me sair de casa

Em T-Shirt negra

De mangas curtas

Jeans azulões

Alpercatas de verão

Pés despedidos de meias

Sentei-me na esplanada

Do meu café preferido

Pedi uma Seven-Up

Um copo bem alto

Uma colher de cabo longo

E uma palhinha de plástico

Distraidamente

Saboreando um sol

De nós há muito arredado

Lá ía mexendo lentamente

Aquele liquido cristalino

Observando as bolinhas de gás

Libertarem-se para o topo

Como quem quer regressar

Às suas origens atmosféricas

Já quase sem gás

Limitei-me a saborear o líquido

Sorvido com a palhinha de plástico

Uma mescla motivadora e gelada

Lima

Açúcar

Água

Sem o picante das bolinhas de gás

Minha mente vagabundava

Daqui para acolá

Nunca sabendo deter-se

Numa reminiscência passada

Já sem o delicioso líquido

Brinquei como dantes o fazia

Sorvendo com muita força

Líquido

Ar

Ruidosamente

Uma amiga comentou

Peregrino a brincar de menino

Não querida amiga

Estou apenas recriando

Uma parte da minha juventude

Então era muito traquina e barulhento

Não

Era apenas travesso quê bê

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-04-10

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 23:12
sinto-me: numa das minhas belas tardes!

Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

20
21
22
24

26
28


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO