30
Abr 10

Dia da Mãe...

 

Porquê chamar Dia da Mãe

Quando para se ser uma Mãe

Não basta ter que parir as crias

Nem ter que delas cuidar

Ser Mãe

Deixou de ser dádiva de Deus

Porque nos tempos que correm

Quem está mais tempo connosco

É a bábá

É a Ama

É a Auxiliar de Educação

É a Senhora Educadora

É a Senhora Professora

E a Mamã

Está sempre com pressa

Sempre com chantagens emocionais

Se não te portas bem

Não te darei aquilo de que gostas

Sempre a correr

Sempre sem tempo para nós

Manda-nos tomar banho sozinhos

Vamos para a mesa sozinhos

Para não tagarelarmos

Colocam-nos os Tvs à nossa frente

Mandam-nos fazer os deveres

Sem nunca nos auxiliarem

Depois é xixi caminha

Sem aquela surrinha no nosso rabinho

Com um beijinho a correr

E lá acabamos por adormecer

Com um vazio por dentro

Com medo do escuro do quarto

Mal dormidos

Mal nos acordam lá vem a mesma cena

Aquela correria diária

Deste filme que não pedi para estar

Um filme de desafectos

Um filme em que

Só o colinho

Só o ombro amigo

Só um beijinho

Da bábá

Da Ama

Da Auxiliar de Educação

Da Senhora Educadora

Da Senhora Professora

É que nos faz sentir

Mais humanizados

Menos aquelas coisas

Que por acaso até vieram ao mundo

Depois de uma keca ao acaso

Oh mãe mãe

É assim que nos tratas

E ainda queres que te chamemos de mãe

Só porque nos pariste

Só porque tens que trabalhar fora de casa

À cata dos tostanitos

Olhem cá mães modernas

Antes de nos parirem

Pensem muito bem se Mãe podereis ser

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-04-30

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 13:35
sinto-me: sem uma Mãe de verdade!

Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

20
21
22
24

26
28


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO