21
Mai 10

 

Poeta ... Poeta ... Acorda...

 

Deixaste-te adormecer

Levanta-te da tua enxerga

E canta ao teu Novo Mundo

Coisas lindas que lá tens dentro

Jamais te importes com o teu Passado

Esses emperros no teu passado

Jamais te ajudarão a Poetar

Amordaçar-te-ão por inteiro

Paralisar-te-ão a mão escrevente

Cegar-te-ão perigosamente o teu novo olhar

Abre de vez a tal Porta

A Porta da Diáspora em que exilaram

Salta cá para fora sem olhar para trás

Quem te encerrou na Masmorra da Diáspora

Escondeu-te bem demais as Chaves

Nas lamas das suas injustiças

Mas Deus é Grande para Ti

Jamais te deixará encarcerar de novo

De Pensamentos

De Desejos

De actos

Por isso te deu Esta Chave Invisível

A tua Inteligência

O teu Bom Coração Coragem

Para que por ti mesmo

Das Catacumbas da tua Diáspora

Saltes cá para fora

Deixes de vegetar

Passes a Viver Globalmente

Esquecendo-te de quem muito amaste

Mas te humilhou

Ainda se faz esquecido de ti

Negando-te acintosamente

Abrigo

Agasalho

Afectos

Alimentos

Aquilo com que nunca lhes faltastes

Corre sempre em frente

Deixa esvoaçar as linhas da tua poesia

Deixa-as serem elas mesmas

Desrimadas

Ritmadas

Plenas do Bom Coração

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-05-21

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 00:03
sinto-me: desejarvos um Bom Coração!

Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12

18
19
20
22

24
26
28
29

30


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO