10
Jun 10

Conviver...

 

Com as Derrotas

Com os Meios-Termos

Com as Vitórias

É estar atento

A toda aquela má educação

Que nos foi dada desde o berço

Que nos levou a desprezar

Por inteiro

O nosso melhor

O valor próprio

Que nos foi dado por nascimento

Ninguém é igual a ninguém

Cada um de nós tem o seu próprio valor

Cada um de nós tem os seus limites

Físicos

Psíquicos

Que se forem bem aproveitados

Teremos então cada Ser Humano

Bem Feliz

Respeitado

Respeitador

Sem termos de comparação

Com os outros Seres Humanos

Mas se os limites

Físicos

Psíquicos

Forem ultrapassados

Então teremos Seres Humanos

Doentes

Porque se excederam

Quando nunca o deviam ter feito

Por má educação recebida

Viver não é Competir

Viver é darmo-nos

Uns aos outros

Sem termos de comparação

Em Partilha fundamentalmente

Onde não existem Derrotas

Onde não existem Meios-Termos

Onde não existem Vitórias

Deus que é Deus

A qual igual a si inflige Derrotas

A qual igual a si faz sentir Meios-Termos

A qual igual a si dá a Vitória

Vamos passar a estar atentos

A toda aquela má educação

Que nos foi dada desde o berço

Que nos levou a desprezar

Por inteiro

O nosso melhor

O valor próprio

Que nos foi dado por nascimento

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-06-10

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 22:03
sinto-me: com Bom Coração Coragem...!

Bom dia!

Que tal de sardinhada ontem??

Espero que se tenha divertido muito!!

Eu, por acaso, trabalhei no feriado...

Gostei muito deste seu Poema, tem de pensar em publicá-los... Um dia que veja os seus poemas, fisicamente, ajudo-o a seleccioná-los, pode ser?

Abraço cibernauta

Maria José
Maria José a 11 de Junho de 2010 às 10:31

Olá Maria José!
Combinado...!
Abraço
Marcolino
©Marcolino Duarte Osorio a 11 de Junho de 2010 às 23:10

Junho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11

14
15
16

22
23
24
25
26

27
28
29
30


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO