24
Out 10

 

Anoiteceu Luarento...

 

Surgido dos morros em frente

Inundou as nossas duas vidas

Com as suas luzes de prata

Vinha vestido singelamente

Como sempre gostei de ter ver

Vestida apenas com uma rosa Branca

Presa nos teus longos cabelos negros

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-10-24

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 02:02
sinto-me: amar como sempre...!
tags:

Que lindo poema de acolhimento à nossa "irmã" Lua, como dizia Francisco de Assis.
Bonito :)
Abraço e boa semana meu amigo!
Marta M
Marta M a 24 de Outubro de 2010 às 19:40

Olá Marta!
Obrigado pela sua viisita e pela alusão a São Francisco de Assis.
Já agora, nunca é demais recordar esta oração que se lhe atribui:

Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor,
Onde houver ofensa , que eu leve o perdão,
Onde houver discórdia, que eu leve a união,
Onde houver dúvida, que eu leve a fé,
Onde houver erro, que eu leve a verdade,
Onde houver desespero, que eu leve a esperança,
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria,
Onde houver trevas, que eu leve a luz.

Ó Mestre, fazei que eu procure mais
consolar que ser consolado;
compreender que ser compreendido,
amar, que ser amado.
Pois é dando que se recebe
é perdoando que se é perdoado
e é morrendo que se nasce para a vida eterna...

Noite tranquila!

Marcolino
Marcolino a 28 de Outubro de 2010 às 19:12

Outubro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14

17
20
21
22
23

25
26
27
29

31


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO