17
Nov 10

 

Sem inspiração...

 

Mas isto não bem verdade

Inspiro-me avulso

Lendo

Ouvindo

Olhando

Mas por vezes aqueles motes

Dos que me rodeiam

Tornam-se confusos demais

Para a minha mente de velho

Sempre em busca do mais perfeito

Há em mim

Algo de muito forte

A quem chamo de Fonte Inspiradora

Que nesses momentos de confusão

Me obriga a dedilhar este belo teclado

Letra a letra

Palavra a palavra

Fazendo-me ver amplamente

Que de dentro de mim pode brotar em poesia

A minha falta de fontes inspiradoras

Fazendo crescer este texto

De cima para baixo

Numa arvore plena de ramos assimétricos

Que nasce invertida

Com as suas Raízes nos Céus

E o seu Cume roçando a Terra

Onde cada um de vós aqui vem

Colher apenas das folhas do Cume

Nunca conseguindo tocar nas Raízes presas aos Céus

Fazer poesia é isto

São faltas de Inspiração

Transformadas em palavras aleatórias

Que a ninguém causam confusão

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-11-17

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 00:30
sinto-me: inspirado, novamente...!

Acredito que a inspiração canaliza-se no preciso momento em que acreditamos muito naquilo que queremos transcrever. A real, a pura, a inspiração sublime.
Sabe-me a mel ler o que escreve e sonho ao toque das palavras. Muitas vezes como se de um piano se tratasse.
Um abraço amigo.
João Nuno
João Nuno a 17 de Novembro de 2010 às 02:01

Novembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
13

14
15
16
19

21
22
23
24
26

29
30


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO