18
Nov 10

 

Retido em Casa...

 

Há já largos dias

Talvez duas semanas e meia

Que adoeci com uma forte gripe

Pensando que era daquelas sazonais

Tratei-a como sempre trato

Todas estas maleitas

No entanto estranhei

A falta de melhoras

Os sintomas de fraqueza geral

As tosses noturnas incessantes

Acompanhadas de febres estranhas

Com as respetivas dores nas articulações

Indisposto mais que o vulgar

Uma das madrugadas chamei um táxi

Fui levado às urgências locais

Logo me foi detetada uma Pneumonia

De novo em casa devidamente medicado

Fiz das tripas coração

Servi-me de mim mesmo

Proporcionando-me aquela assistência

Tão necessária nestes casos

Dada por alguém de família

Mas como há muito vivo sozinho

Tratei de mim próprio

Como se vivesse numa ilha isolada do Mundo

Hoje era para sair em passeio até Lisboa

Devidamente agasalhado

Mas como este tempo não está para brincadeiras

Resolvi mais uns dias aguardar

Para que saia de casa sem propensões a recaídas

Só Peço a Deus que me reforce

O Dom da Sobrevivência

O Dom da Independência

E o Dom da Auto-Suficiência

Bem condimentados com o Dom da Alegria!

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-11-18

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 12:33
sinto-me: muitissimo melhor...!!!
tags:

Marcolino:
Já está reforçado ;)
Admiro imenso a sua força, a física e a interior.
As melhoras meu amigo, mesmo que não esteja junto a mais ninguém, está na melhor companhia que pode ter: a si mesmo!
Às vezes até os que têm companhia se percebem sozinhos quando mais precisam...
E isso sim: surpreende e dói.
Àté me atrevo a dizer que é muito maior a desilusão.
Há de ultrapassar mais este percalço e fortalecido. Tem estrutura para isso.
É só seguir as indicações do médico e cuidar-se o melhor que puder.
O tempo tudo cura e a canja de galinha - também!
Abraço e as melhoras meu amigo
Marta M
Marta M a 18 de Novembro de 2010 às 17:17

Olá Marta!
Obrigado pelas suas palavras de incentivo!
Há que melhorar tranquilamente e sem pressas. Já sinto muita vontade em sair de casa o que é bom sinal. Mas ... há que ter calma...!
Abraço
Marcolino
Marcolino a 18 de Novembro de 2010 às 20:16

Oh Marcolino... gostei tanto deste poema e da simplicidade com que transmite toda essa fraqueza própria de quem se sente dente e ao memso tempo essa coragem e essa força interior, assim como essa capacidade de seguir em frente....
O Marcolino é um exemplo e uma lição para muita gente!
Só lhe desejo francas e rápidas melhoras. A saúde é tão importante!
Um aconchego como amiga e como enfermeira...
Sempre,
Isabel
Isabel Maia Jácome a 21 de Novembro de 2010 às 00:09

Olá Isabel!
Por natureza fui sempre uma pessoa resilente. Com o andar dos anos, os factos vivenciados por mim refinaram esta resilência, tornando-a bem mais inteligente. Duas actividades extra ajudaram-me a ser bem mais humano. Fui visitador voluntário junto a doentes terminais num dos hospitais civis de Lisboa, e também andei, quase dois anos, inserido num grupo que prestava assistencia aos Sem Abrigo.
Foram duas grandes experiências que me deram uma visão bem mais humilde de mim mesmo!
Marcolino a 21 de Novembro de 2010 às 09:03

Aprendemos muito quando estamos humana e sensivelmente atentos aos outros e nós mesmos!
E o Marcolino é naturalmente atento e interessado.
Que bom que esteja melhor!
Beijinho
Isabel

Novembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
13

14
15
16
19

21
22
23
24
26

29
30


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO