06
Jan 11

 

Olhei-te hoje...

 

Passados quase uma vintena de anos

Nessa altura tinhas o rosto sem sulcos

Até hoje deixaste-o sulcar pelas tristezas

Olhei tuas nãos

Nessa altura doces e macias como veludo

Hoje deixaste-as descurar até envelhecerem

Toquei-as ao de leve olhando-te nos olhos

Permitiste-me que nelas tocasse

Entre minhas mãos as aqueci

Fizeste-me um doce sorriso

Em vez dos teus outrora lindos lábios

Beijei ao de leve tuas martirizadas mãos

Que ainda conservam a sua doce macieza

Não te dei a saber nada

Nossos olhos se falaram como dantes o faziam

Senti teu olhar descansar

Pedindo-me tranquilamente para me ausentar

Olhei-te hoje

Que Deus te proteja sempre

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2011-01-06

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 02:57
sinto-me: que fiquei bem feliz...!

Amigo Marcolino,
q bonito escrito!
Um momento de pura inspiração? De amor? De ternura? De saudades?
Não sei bem do quê, mas sei que há aqui uma grande dose de emoções.
Gostei muito. Parabéns.
Bom domingo!
João Nuno
João Nuno a 9 de Janeiro de 2011 às 03:09

Bom domingo, João Nuno!
Olhe que acertou, por isso mesmo não adiantarei nada mais...
Obrigado por este seu comentário!
Abraço
Marcolino

O amor é fantástico! e faz quem o sente fantástico também. Muito bonito!
bjinho
Isabel
Isabel Maia Jácome a 10 de Janeiro de 2011 às 18:30

Olá, Isabel!
Obrigado...!
Abraço
Marcolino

Janeiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
14
15

17
19
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO