05
Jun 11

 

Imagem recolhida na Internete

 

Meu Amigo morreu...

 

Meu Amigo morreu

Bem mais velho que eu

Mas de ar jovem e compostinho

Conheci-o pobre

Nossa Amizade nasceu espontânea

Porque ele viva na pobreza

Os bens materiais que tinha

Eram os nossos já usados e recuperados

Sua roupas eram as nossas já usadas e cosidas

Usava sandálias nas quatro estações do ano

Dizia que não tinha frio porque Deus o aquecia

Ele comia das nossas sobras requentadas

Quando adoecia cotizávamo-nos

Para obter remédios para as suas mazelas físicas

Meu Amigo era um Filósofo da Felicidade

Dizia ele a quem infeliz andava

Oh jovem, pede a Deus para seres feliz

Mas sem os tais bens materiais mesmo sem amigos

Peço-lhe sempre Forças e que me leve num repente

 Não gosto de velórios

Mas este velório tive mesmo que ir

Era o velório do meu Amigo

Tem piada nunca lhe conhecera alguma companheira

De dia andava sozinho quando connosco não conversava

Deliciava-se a escutar o chilreara da passarada

Falava com os canitos da rua quando se cruzava com eles

Eles ficavam dóceis que se roçavam nele

De noite desaparecia como as sombras no escuro da noite

Mas a um canto do velório uma Prostituta chorava de mansinho

Aproximei-me curioso e perguntei-lhe: É familiar dele?

Respondeu baixinho: Não, mas aqueceu-me a a minha Alma

Nas invernias dos meus desgostos ... Paz à sua Alma

Beijei-a na testa envergonhado por a considerar uma Puta

Segredei-lhe que quando desejasse falar minha Porta estava aberta

Obrigado vizinho sei que poderei contar consigo...!

Meu Amigo morreu

Mas a Puta que ele tão bem protegia

Em mim ganhou um outro Amigo...!!!

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2011-06-05

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 02:09
sinto-me: deliz...!
tags:

14
Dez 10

 

Preocupar certo Amigo certo...

 

Que me conhece há já 58 anos

Parece que virou cena diária

Porque me esqueço sempre

Puro desleixo apenas e mais nada

De levar o telemóvel comigo

Vá para onde for

Fomos sempre despreocupados

Reinadios e estouvados

Acima de tudo e todos

Amigos e Cúmplices inseparáveis

Para o ano ele já faz setenta

E eu os que ele já tem hoje

Já nos vimos em palpos de aranha

No Liceu

No Desporto

Na Guerra

Na Vida

Na saúde

Tudo superámos com alegria e pés ligeiros

Mas hoje sentimo-nos bem mais perto do fim

Olhamo-nos nos olhos interrogativamente

Como que tentando adivinhar

Onde

Quando

Como

Nossos corpos belos e atléticos d'outrora

Foram tomados pela velhice do muito e mau uso

Nossas memórias pregam-nos partidas

Falham de quando em vez

Olha pá

Aquele velho ali sentado foi nosso colega no Liceu

Diz um

Nosso colega no Liceu ... deves estar a delirar

Diz o outro

Grande apagão te está a dar

Diz o primeiro

Então vamos lá perguntar se é ou não quem pensamos

Frente ao Desconhecido

Curiosamente olhando de frente para nós dois

Lá fizemos a tal pergunta sacramental destas ocasiões

N Ã O...!

Respondeu secamente como que correndo connosco...

De sorrisos amarelos regressados aos nossos lugares

Chamamos o garçon para nos servir mais dois uísques

Não só para ajudar a digerir a almoçarada

E já agora porque não o N Ã O do tal Desconhecido

Mas também para nos soltar as línguas

E faze-las contar coisas e loisas daqueles tempos do Liceu

O tal do N Ã O lá partiu rumo à porta

Ainda hoje estamos para saber se seria ou não o tal colega

Nossas memórias pregam-nos partidas

Falham de quando em vez

Nossos estômagos também

Já não digerem como o faziam dantes

Há que comprar pastilhas digestivas para azia quebrar

Olá cá meu Amigão

Não leves a mal esquecer-me do telemóvel

P R O M E T O

De agora em diante levá-lo sempre comigo

Para saber qual dos dois morreu primeiro

A propósito

Quando voltamos ao Torrão

Para uma belíssima Carne de Porco Preto, à Alentejana

Regada com o belo Borba

Como digestivo o nosso Logan

Fica descansado que levarei as pastilhas

E também o meu telemóvel...!!!

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-12-14

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 00:23
sinto-me: amigo deste amigo Certinho...!

01
Dez 10

  

 

Para a Laurinda Alves...

 

Minha doce Amiga Bloguista

Confesso-lhe

Toda a minha admiração por si

Porque toda a Força que tem transmitido

Só pode vir de alguém muito especial

Quiçá a mando de Deus

Que colocou este seu belo exemplo vivo

Diariamente em nossas vidas

Para com todos os seus Afetos

Nos fazer crescer sem fim

Nos fazer ver melhor as nossas vidas

Deixarmos de ser cegamente omissos

Passarmos a ser bons Apóstolos

Transmissores dos dons que Deus nos deu

Praticando-os diariamente não só aqui

Mas também lá fora nas nossas Vidas reais

Não só pelo que de si lemos

Desinibindo-nos a transmitir em viva escrita

Desinibindo-nos a praticar em palavras e atos

Plenos de todos os Afetos nossos

Envoltos no Manto do Amor Fraternal Universal

Em Partilha constante

 

Marcolino Duarte Osório 

- Peregrino -

2010-12-01

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 02:32
sinto-me: sinto-me feliz por si...!!!

24
Dez 09

Presentes de Natal...

 
Jesus Cristo
Fez-se eternamente Presente
Na Hóstia Consagrada
No Vinho feito seu Sangue
Exemplo melhor do que este
Nem Poetas
Nem Escritores
Nem Arautos d'Amizade
Alguma vez
Nas suas Caminhadas Peregrinas
Ousaram Cantar
Escrever
Anunciar
 
Marcolino Duarte Osório
- Peregrino -
2009-12-24
publicado por Marcolino Duarte Osorio às 05:58
sinto-me: Presente nas vossas Vidas!

Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO