05
Jan 12

 

 

Só agora dei que existo...

 

Só agora dei que existo

Que tenho este blogue

Se sou visitado e lido

Nem que seja por curiosidade

É matéria fora do meu pensar

Se ninguém minha casa visita

Para quê dizer a todo o mundo

Que vivo sem amigos diariamente

Nem o padeiro nem o leiteiro

Conseguem vender-me seus produtos

Como consumo tão pouco

Não sou nem serei um bom cliente

Sou daqueles quem lhes dá os bons dias

Acenando com uma das mãos

Porque a outra minha cabeça descobre

Em sinal de respeito

Pela minha vida passaram tantos e tantos amigos

Uns de infância

Outros da Escolinha e do Liceu

Quiçá da Tropa e da Faculdade

Mas da minha velhice ... népia

Uns já morreram

Outros para lá caminham cheios de achaques

Seus filhotes nunca me conheceram nem eu a eles

Quebraram-se laços de grandes amizades

Como quem deixa partir um copo de lindo cristal

Os cacos são varridos para o caixote do lixo

E na vitrina por lá ficou mais um espaço vazio

Onde ficam os outros bem longe do nosso olhar

Escondidos atrás das lindas portinhas da cristaleira

Não vão outras mãos aos velhos copos deixar tombar

Triste por não ver ninguém por perto

Vou espreitar os que ainda restam ao Facebook

Digo-lhes olá como lhes disse sempre

Quedo-me ansioso à espera de um sinal seu

Deles obtenho como resposta o seu duro silencio

Dou-lhes os parabéns pelos seus aniversários

Desejo-lhes umas Boas Festas

E como resposta

Nem um clique no «gosto» Facebookiano

Será que morreram e ninguém tem a sua palavra passe

Para suas presenças se tornarem em coisas que já foram

Mas nada de meu se quedou sem uma grande Amizade

Um casal jovem e bem humorado me adotou como Amigo

Ela pequenina ladina e bem humorada de coração fraterno

Ele um bom gigante Alentejano coração de oiro e nobre trato

Prefiro este afetuoso Facetoface ao outro Facebook

Porque nos saudamos

Porque conversamos

Porque rimos

Porque temos tempo para nos escutar

 

  M. Osório

- Peregrino -

2012-01-05

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 18:42
sinto-me: com dois Amigos bem humorados!

17
Abr 11

Imagem recolhida na Internete

 

Facebookeando...

 

Facebookeando

Resolvi aderir ao Facebook

Porque certos amigos acertados

Por ali andavam

Seus convites me enviavam

Para aderir à sua Comunidade

Resolvi aderir

Com uma certa relutância

Porque seria mais uma tarefa

Com cariz obrigatório

Absorver-me

Obrigando-me a encurtar

Meu tempo útil do meu dia-a-dia

Logo de inicio me senti desolado

Porque em vez de um olá como estás

Choveram colagens no meu Mural

Com ordens estranhas

Avessas à minha forma de estar

De principio aquiesci

Mas estas presenças nada agradáveis

Tornaram-se deveras maçadoras

Sem encanto algum

Devo ter cerca de 100 contactos

Não lhes chamarei de Amizades

É só entrar ler e sorrir

Porque as verdadeiras quando o são

Em vez de colagens a esmo

Cumprimentam

Dizem um olá como estás

Parabenizam-me no meu aniversário

Saúdam-me pelo Natal e pela Páscoa

Escrevem um abraço para ti

Escrevem um beijinho para ti

Descrevem seus afetos para comigo

Com palavras doces e mansas

Observo-vos com centenas de Amizades

Mesmo conhecendo-se pessoalmente

Aqui pelo Facebook

Tratam-se como se nunca se tivessem conhecido

Sem querer desmascaram a sua indiferença

Para quem os tem como Amizades verdadeiras

Facebook é indiferença envolta de realismo contundente

Indiferença igual a quem passa por um ser caído no passeio

Sem desejar prestar-lhe assistência

Desviando-se para passar ao lado fazendo vista grossa

Ao menos poderia pegar no telemóvel e ligar para o 112

Facebook é isolamento

Igual a quem morre sozinho sem assistência da vizinhança

Uma vez morto para que serviram estas Redes ditas Sociais

Facebook é daquelas amizades sem ninguém por perto

Alguém que passe pela nossa janela escancarada

Nos convide a sair até ao café para tertuliarmos por minutos

Facebook é uma calamitosa mentira dos Socialmente Corretos

Facebook é uma grande venda para os olhos dos distraídos

Facebook é bem o retrato desumano do momento presente

Facebook é igual à frivolidade das bonecas Barbie

 Facebook é um desmontar de quem é quem e com quem

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2011-04-17

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 06:34
sinto-me: facebookeando...!
tags:

Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO