19
Mar 11

    Imagem recolhida na Internete

 

Hoje é o Dia do Pai...

 

Quando se tem um Pai

Mesmo à mão de semear

É vê-lo feliz

Contente e sorridente

Rodeado pela sua prole

Filhos e netinhos

Confraternizando todos juntos

Meu Pai há já muito que partiu

Mas recordo-me muito bem dele

Dos seus braços musculados

Onde me empoleirava

Onde me sentia bem seguro

Dos grandes ombros

Onde me sentava

Bem agarradinho a sua cabeça

Da sua enorme altura

Quando o olhava do chão

Recordo-me de o ver envelhecer

Recordo-me das longas conversas a dois

Recordo-me da nossa cumplicidade

Recordo-me da nossa confiança mútua

Recordo-me de o ver adoecer

Recordo-me do seu definhar lento

Recordo-me de o ver vacilar com o vento

Recordo-me de o sentir agarrado a mim

Como quando em nené eu fazia com ele

No dia em que partiu

Vi-o partir sem muitas lágrimas

Preferi vê-lo assim partir

Para não o ver definhar dia a dia

Ainda mais e mais dolorosamente

Deixou-me a sua imensa Sabedoria

Deixou-me a sua imensa Bondade

Deixou-me a sua nobre Resiliência

Que de melhor me poderia legar...?!

Obrigado meu Pai

Por teres sabido sê-lo...!!!

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2011-03-19

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 11:14
sinto-me: feliz...!!!

16
Jan 11

 

Ao folhear minhas memórias...

 

Dei com esta fotografia

De um Templo daqueles tempos

Já passados

Eu e a minha filhotinha mais nova

Reguilita como só ela

Crescia em afetos comigo

Desafiava-me sempre que lhe apetecia

Corria à minha frente

Rindo alto de felicidade constante

Sempre tivemos um segredo mútuo

Falávamos em silencio um com o outro

Bastava-nos trocarmos olhares

Sabíamos aquilo que queríamos

Como estás bem longe

Resolvi fazer este post

Alusivo ao nosso anterior Tempo

Daquele Tempo

Do Tempo dos nossos tempos já idos

De uma das páginas das nossas memórias

 

Marcolino Duarte Osório 

- Peregrino -

2011-01-16

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 01:14
sinto-me: que te amo cada vez mais...!

28
Dez 09

Deveres e Direitos...

 
Ter filhos
É receber uma dádiva da Vida
Vida entre dois Seres
Que se encontram
Nas suas Caminhadas
Suas Vidas tocam-se
Por Tempo indeterminado
Sempre no Tempo do tempo
Do Tempo do tempo dos seus Tempos
Os filhos nascem indefesos
Há que dar-lhes assistência primordial
Para que se nutram
Para que cresçam em segurança
Para que aprendam a viver autonomamente
Para que naquele aprazado tempo
Quando chegada a Hora
Partam de armas e bagagens
Em busca da sua Vida Própria
Estes são os deveres fundamentais
De dois progenitores
Quando Deus lhes entrega
Um ou mesmo mais filhos
Quando os filhos partem
Quanta mágoa se instala
Dentro de cada progenitor
Porque sempre se acharam no direito
De nunca se apartarem de seus filhos
E assim jamais deixam seus descendentes
Partir em Paz
Partir com Alegria
Para descobrirem o Mistério desta Partida
E darem de novo à Vida que lhes acontece
Novos Seres
Que de si dependerão
E de si partirão para novos Ciclos de Vida
 
Marcolino Duarte Osório
- Peregrino -
2009-12-28
publicado por Marcolino Duarte Osorio às 10:03
sinto-me: DE Missão Cumprida...!

Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO