25
Jun 11

 

Encontros...

 

Encontros

Sem data nem horas marcadas

Por vezes acontecem na minha vida

Estava tranquilo da vida

Distraído como sempre

Numa das Catedrais de Consumo de Lisboa

Alguém se colocou à minha frente

Parei

Olhei para o lindo rosto sereno e doce

Escutei que me pedia algo em voz baixa

O senhor dá-me um euro para ir ali comer

Olhando e apontando a zona dos cafés

Fiquei de coração coragem acelerado

Porque aquele sorriso tranquilo e macio

De algum lado indefinido já o conhecia

Entretanto reagi...

Estás sem comer desde quando perguntei

Hoje ainda não almocei estou sem dinheiro

Estás a enfiar-me uma grande tanga ripostei

É verdade ... estou cheia de fome

Abri o meu porta-moedas

Peguei numa nota de cinco euros dobrada a meio

Discretamente passei-lha para as mãos

Surpresa das surpresas como agradecimento

Veio um sereno obrigado e beijou-me as duas faces

Ela era linda e serena

E a pele da sua cansada cara macia como ricas sedas

Desejou-me felicidades

Desejei-lhe boa sorte

Viramos costas um ao outro

Antes de nos afastarmos por completo perguntei-lhe

Você por acaso chama-se Rita...

Olhou para mim serenamente e respondeu

Não ... chamo-me Madalena...

Acenamo-nos adeus com as nossas dextras

Encontros...

  

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2011-06-25

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 23:25
sinto-me: desejar melhor sorte Madalena

11
Dez 10

 

Sou Português...

 

Que ainda não conseguiu ficar maluco

Exmo. Senhor Presidente da Republica

Exijo-lhe que tome mais cuidado

De futuro

Com as torpes chantagens emocionais

Que nos vem fazendo

Dizendo que todos os Portugueses

Deveriam ter vergonha

Por haver pessoas com Fome em Portugal

Um flagelo

Que se tem propagado dolorosamente

Pelos mais desfavorecidos

De forma Envergonhada e Silenciosa

E agora pergunto-lhe ingenuamente

Foram ou não os Governantes desgovernados

Que levaram Portugal a este estado calamitoso

Ou foram os anónimos e respeitáveis Portugueses

Que levaram os Governantes ao descalabro da Fome

Exmo. Senhor Presidente da Republica

Sou um entre dez milhões de Portugueses

Mais desfavorecido que V.Exa.

Que ainda não conseguiu ficar maluco

Que lhe pede encarecidamente

Para não atirar descaradamente a Vergonha

Para cima de nós Governados

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-12-11

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 02:51
sinto-me: sem argumentos estáveis...!!!

Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO