24
Dez 11

 

 

Feliz Natal...

 

Feliz Natal...

Desejamos uns aos outros

Esquecendo-nos eternamente

Que este Natal é e será para sempre

Um Natal mais que Especial

Que todos os Natais já passados

 

Feliz Natal...

Desejamos uns aos outros

Porque nunca abrirmos nossos corações

A ti

A mim

A nós

A todos os que nos rodeiam

Ansiando diariamente

Por um Natal individualista quiçá egoísta

 

Feliz Natal...

Que frase tão espontânea

Despida de sentimentos

Envergonhados de sentimentos darmos

Uns aos outros

Tão necessitados de um Natal dentro de nós

 

Feliz Natal...

Num beijinho

Numa carícia

Num abraço

Num afagar de corações rejuvenescidos

Pela Quadra Natalícia

Qual Fonte de Amor Incondicional

 

Feliz Natal...

Sem prendinhas materiais

Mas sim num mar de afetos

Que deveríamos dar uns  aos outros

Sem medos de eternas e singelas juras

Já quebradas

Por falta de reciprocidades Natalícias

 

Feliz Natal...

Porque se nos dermos em afetos

Jamais perdurarão tempestades

De más vontades

Residentes dentro de cada um de nós

Envoltos não na Paz de Deus

Mas sim nas indiscriminadas Garras

Da Mãe dos Bens Materiais

 

Feliz Natal...

Nunca foi Utopia

Tornou-se isso sim

Vergonha dos nossos sentimentos

Expressarmos

Camuflado por torpes Prendinhas

Embrulhadas em papel descartável

Envoltas por lindos laços doirados

Que às nossas faltas de Natais

Permanentes

Escamoteiam falseando as Realidades

 

Feliz natal...

Façamos das nossas Vidas

Diariamente

Com Paz Amor e Partilha

A continuação de Maria e José

Nas Mensagens  de Jesus de Nazaré

 

Feliz Natal...

Desejo a mim

Com toda a Ternura Universal

Envolvendo num amplexo

A ti

A todos vós

O Poder do Amar com Verdade

Nunca em materialidade

 

Feliz Natal...

Eternamente aconchegados

Como no  Colo das nossas Mães

Cobertos de beijos e desvelos

Doce Fonte de Amor

Que secou

Ao longo dos Tempos

de Afetos

Qual templo destelhado

 

Feliz Natal…

Meu anseio

Meu desejo

Meus votos para todos vós

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2011-12-24

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 04:48
sinto-me: rejuvenescio...!!!
tags:

24
Dez 10

 

 

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 08:37
sinto-me: a desejar-vos um Feliz Natal!

22
Dez 10

 

O Presépio...

 

Um dia já há muito passado

Montávamos um Presépio de barro cru

Eu e uma das minhas filhotas

Dispúnhamos as respetivas figuras

De acordo com as dos Presépios pintados

Repentinamente o nosso silêncio foi quebrado

Porque da sua cabecita resolver questionar-me

Se aquilo que estávamos a fazer

Tinha alguma coisa a ver com a Sagrada Família

Tu o que achas questionei-a

Oh Pai já reparaste que é mesmo uma Família

Tem um Homem que é o São José Carpinteiro

Tem uma Mulher que é a Nossa Senhora

Tem um Menino que é o Menino Jesus

E os animais que fazem por aqui

Perguntei jocoso

Oh Pai lá estás tu a brincar com esta cena

Mas então explica-me lá

Como estava muito frio e recolhidos num estábulo

Aproveitaram-se da sua presença para se aquecerem

Achas que foram uma Família Feliz

Perguntei meio curioso

Oh paizinho cá por mim até foram bem felizes

Apesar de não estar escrito no meu Catecismo

Olha cá minha filhota que achas mais deles

Olhando as figuras de barro cru

Desenhou com ambas as mãos uma espécie de cúpula

E acrescentou

Sim vejo-os muito juntos e sempre unidos

Não existe nada mas mesmo nada que os possa separar

Representam mesmo uma Família Sagrada e Abençoada

Timidamente me questionou

E tu paisocas que pensas do que eu te disse

Olha minha filhota querida

Quer acredites quer não

Foi a primeira vez na minha vida que me ensinaram

Tudo aquilo que representa um Presépio

A sua Força e União dentro de todas as Famílias

Mereces mesmo um beijinho de Presépio…!

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-12-22

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 19:51
sinto-me: bem feliz neste Natal...!!!

28
Nov 10

 

 

Avôzinho...porque não festejas o Natal...

 

Ele olhou bem fundo nos olhitos redondos

Deste seu netito

Tão iguais aos seus com a mesmissima idade

Suspirou e disse-lhe complacente

Olha meu querido

Quando teus avós nasceram

Esta data

Não era sequer considerada

Como a do Natal atual

Era outra coisa sem festa

Era mais um dia do ano

Era mais uma folha do calendário

Os teus avós a isso se habituaram

Depois veio um Papa

Todo lampeiro

Aqui d'el Rei

Temos de mudar de data

Deste atual Natal

Porque esta gente materialista

Matou tudo tudo dos pés à cabeça

Materializando-o

Esquecendo-se que o Natal é Espiritualidade

Que deveria ser uma celebração da Familia

Vivido em Comunhão Espiritual 

De todos e com todos os da mesma Familia

Transformou-o numa feira de trocas

Onde abundam as ofertas ricas

Porque até dá muito menos trabalho

E estas prendas caras

Até se podem pagar a prestações

Onde quem pode comprar dá aquilo que deseja

E quem não pode comprar fica-se pela sua presença

Sentindo-se envergonhado na sua pobreza

E o dar Afetos ninguém os vê

Porque estes tais de Afectos já ninguém os usa

Vulgarizaram-se e deixaram de ser dados

Quem os tenta transmitir torna-se ridiculo

Por se cultivar o Mundo dos Desafetos

Quando mudaram o Natal para 25 de Dezembro

Este teu avozinho muito triste ficou

Ficaste triste Avozinho..porquê...

Olha meu querido netinho

Esta festividade apenas mudou de data

Porque as pessoas e as suas cegueiras

Continuaram a ser as mesmas...

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-11-28

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 07:32
sinto-me: à espera deste milagre...!

27
Nov 10

 

O Natal e o Ódio...

 

O Ódio Primário

Ou Ódio de Estimação a alguém

É uma componente humana

Carregada de desumanidade

Incapaz de ser dissimulada

Seja em que altura o for

Até o Natal não o consegue

Porque tal Ódio em Dogma se tornou

E contra Dogmas

Não existem argumentos

Então e o Milagre do Natal

Não é capaz de transformar

Tal Ódio em em Paz e Amor

Poderemos questionar-nos

Sim digo-vos eu

Quando quem em militância Odeia

Se predispõe a deixar-se transformar

Permitindo a Deus Sobrenatural

Que entre dentro de si

Para lavar seu interior de todo o Ódio

Para que a Paz

Para que o Amor Fraternal Universal

Para que a Partilha

Se instalem dentro de si

Dentro de quem quer ser Curado Por Deus

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-11-27

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 12:57
sinto-me: com esperança neste Milagre!

25
Nov 10

 

Porquê então Natal...

 

Ainda hoje estou para saber

Para que servirá esta festividade

Criada pelos seres humanos

Com origem não europeia

Já passei

Ou já passaram por mim

Tantos Natais

Como quantos anos de vida tenho

Natal após Natal

Fico à espera do seu real significado

Dizem-me que é algo amilagrado

Sempre perguntei

Porquê então o Natal

A quem eu achava ter uma resposta cabal

Apenas capto mil e uma divagações

Sobre o que deveria ser

Mas que na realidade nunca foi

Ainda consigo entender o significado

Das festividades do Fim de Ano

Resume-se à mudança de números

Números do Calendário atual

Passagem estreita de um ano para o outro

Mas no Natal não existe mudança alguma

Não existe passagem estreita nem larga

Sempre existiu uma triste realidade

Do parecer que vai tudo mudar

Pelas saudações

Pelos escritos

Pelos ditos

Pelos beijinhos

Pelos Abraços

Pelas prendinhas

Mas mesmo ao final do dia

Tudo volta a ser como era

Desilusão consciencializada

Dá-me para perguntar mais uma vez

Porquê então o Natal

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2010-11-25

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 15:15
sinto-me: à espera do Milagre do Natal..
tags:

24
Dez 09

Presentes de Natal...

 
Jesus Cristo
Fez-se eternamente Presente
Na Hóstia Consagrada
No Vinho feito seu Sangue
Exemplo melhor do que este
Nem Poetas
Nem Escritores
Nem Arautos d'Amizade
Alguma vez
Nas suas Caminhadas Peregrinas
Ousaram Cantar
Escrever
Anunciar
 
Marcolino Duarte Osório
- Peregrino -
2009-12-24
publicado por Marcolino Duarte Osorio às 05:58
sinto-me: Presente nas vossas Vidas!

18
Dez 09

Pelas Tertúlias de Natais Passados...

 
Recordei-me
De ter ido a um guarda-fatos
Pelos meus 10 anitos
E por lá vi bem guardadinho
Um comboio de corda
Que havia ao Menino Jesus pedido
Chorei desalmadamente
Quando me confirmaram serenamente
Serem os meus Pais
O tal de Menino Jesus...
Recordei-me
De ter feito de Pai Natal
Vestido a rigor mas sem luvas
Num gelado Inverno Bracarence
De ter pegado ao colo
A minha filhota mais velhita
Que logo logo descobriu
Pelas minhas peludas e grandes mãos
Que o Tal de Pai Natal era o seu paisocas
Recordei-me
De não me lembrar já
Como os outros meus filhotes descobriram
Que o tal de Pai Natal era Filme Remendado
Era Invenção das Gerações Anteriores
Recordei-me
De me ter lembrado
Por estarmos nesta época Natalícia
De convosco Tertuliar em partilha
Cenas eventualmente marcantes
De todos os nossos Natais...
 
 Marcolino Duarte Osório
- Peregrino -
2009-12-18
publicado por Marcolino Duarte Osorio às 23:06
sinto-me: Boas-Festas...!!!
tags:

Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO