06
Set 12

 

Recordar o meu passado…

 

Recordar o meu passado

Foi tema em duas fases

Quando a vida me corria muito mal

Às minhas boas e sãs memórias recorria

Para ao amargo presente adoçar

Hoje o meu presente

Está tão equilibrado e bem feliz

Que do meu passado

Não quero nem devo recordar

Para à sua beleza nada minimizar  

 

Marcolino Duarte Osório

          - Peregrino -

          2012-09-06

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 11:26
sinto-me: bem feliz!

27
Jan 12

 

Nostalgia…

 

Será nostalgia

Será evolução mal aceite

Será medo do Futuro

Hoje falei com o meu irmão

Olhando para o seu netinho

Recuamos no tempo

Lembrámo-nos de coisas inverosímeis

Vistas à lupa dos novos tempos

Rimo-nos a bom rir

Porque na nossa juventude

Nem sonhávamos com os dias de hoje

Nostalgia

Serão amarras ao nosso passado

Com medo de evoluirmos

Que nos fazem meditar

Aquilo que fomos

Aquilo que nos vamos tornando

Porque nunca desejámos parar

Amarrados pelos medos de evoluir

A um passado que foi a nossa escola

Outrora limite invisível da evolução

Ao presente de hoje

Meta volante para novas evoluções

Se as nossas mentes se deixam parar

Nos tempos passados

Então hoje entramos em sofrimento

Por falta de entrosamento

Resolvemos então deixarmo-nos de ser passado

Para podermos absorver e usufruir

Todas as benesses destes novos tempos

 

 M. Osório

-Peregrino-

2012-01-27

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 00:37
sinto-me: Muitissimo feliz...!!!

27
Mai 11

 

Agarrados  ao Passado...

 

Agarrados ao Passado

Quem não o anda

Vá lá não sejamos mentirosos

Para quê pergunto-me eu

Quando as coisas do passado

Já foram Futuro tornaram-se Presente

E passaram lá para trás para o tal Passado

Todos nós vivemos agarrados ao passado

Seja ele qual for

Se tiver sido belo lindo inigualável

Anula a Beleza do Presente para sempre

Se foi difícil doloroso e tsunâmico

Jamais nos deixa saborear toda calmaria

Que vem sempre depois de um tempo mau

Teimamos viver sempre agarrados ao passado

Como se tábua de salvação o seja

Perdeu-se o cônjuge

Por morte ou por divórcio

Enquanto vivermos agarrados ao passado cônjuge

Ou nunca mais arranjamos outro para amar

Ou se o arranjarmos dar-lhe-emos mau viver

Porque o comparamos sempre com o já passado

Por divinal que o presente o seja

Agarrados ao Passado

Para quê não desejarmos ser felizes

Ao menos uma vez na Vida...!

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2011-05-27

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 10:35
sinto-me: feliz...!!!

16
Jan 11

 

Ao folhear minhas memórias...

 

Dei com esta fotografia

De um Templo daqueles tempos

Já passados

Eu e a minha filhotinha mais nova

Reguilita como só ela

Crescia em afetos comigo

Desafiava-me sempre que lhe apetecia

Corria à minha frente

Rindo alto de felicidade constante

Sempre tivemos um segredo mútuo

Falávamos em silencio um com o outro

Bastava-nos trocarmos olhares

Sabíamos aquilo que queríamos

Como estás bem longe

Resolvi fazer este post

Alusivo ao nosso anterior Tempo

Daquele Tempo

Do Tempo dos nossos tempos já idos

De uma das páginas das nossas memórias

 

Marcolino Duarte Osório 

- Peregrino -

2011-01-16

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 01:14
sinto-me: que te amo cada vez mais...!

06
Jan 11

 

Olhei-te hoje...

 

Passados quase uma vintena de anos

Nessa altura tinhas o rosto sem sulcos

Até hoje deixaste-o sulcar pelas tristezas

Olhei tuas nãos

Nessa altura doces e macias como veludo

Hoje deixaste-as descurar até envelhecerem

Toquei-as ao de leve olhando-te nos olhos

Permitiste-me que nelas tocasse

Entre minhas mãos as aqueci

Fizeste-me um doce sorriso

Em vez dos teus outrora lindos lábios

Beijei ao de leve tuas martirizadas mãos

Que ainda conservam a sua doce macieza

Não te dei a saber nada

Nossos olhos se falaram como dantes o faziam

Senti teu olhar descansar

Pedindo-me tranquilamente para me ausentar

Olhei-te hoje

Que Deus te proteja sempre

 

Marcolino Duarte Osório

- Peregrino -

2011-01-06

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 02:57
sinto-me: que fiquei bem feliz...!

29
Dez 09

Ao jeito de Balanço...

 
Resolvi fazer uma retrospectiva
Do ano que está a findar
Foram onze folhas de Calendário
Viradas uma a uma
Ainda me resta uma
Que por si só se descolará
Rumando ao Passado
Porque o seu Tempo se findou
Outras doze folhas virarei
Uma a uma
Sem contar com as que virão
Pois em cada folha encontrarei
Apenas um dia para viver de cada vez
Nunca contando com os que virão
Esquecendo-me daqueles que já passaram
Ao jeito de Balanço
Este será o meu ano que ainda não findou
 
Marcolino Duarte Osório
- Peregrino -
2009-12-29
publicado por Marcolino Duarte Osorio às 12:54
sinto-me: Um porreiraço...!

Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO