01
Dez 09

Lá fora chovia...

 
Mas chovia já de sol aberto
A Mãe Natureza rejubilava
Sua tonalidade mais de avivava
Seu espírito bem entreaberto
Convidava-me ao sonho
Fazia rejubilar o meu Eu
Soltei umas golfadas de ar quente
Directamente na grande vidraça
Uma ligeira película de gotículas
A fez ficar gravável
Sorri-me enternecido
Com um dedo da minha dextra
Fiz sulcos naquele embaciado
Letra a letra desenhei
Amo-te muito
Resguardado num lindo coração
 Lá fora de cada dia que chove
No vidro reaparecem
Aqueles desenhos de amor
Recordações em filigrana
Fazendo-me lembrar
Que também já amei
Que amar teve seus tempos em mim
 
Marcolino Duarte Osório
- Peregrino -
2009-12-01
publicado por Marcolino Duarte Osorio às 00:45

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Dezembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

14
15
16
17

20
21
23
25
26

27
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO