17
Fev 10

A minha primeira memória...

 
Percorri todas as minhas memórias
Ainda remanescentes
Confesso que boas memórias
Foram desfilando uma a uma
Até me recordar de mim mesmo
Quando nasci
E a este mundo fui entregue
Em busca do Seio Materno
Quentinho e delicioso
Foi sempre disto que me recordei
Como sendo a minha primeira memória
Mas de memória em memória
Cheguei bem pertinho
Dos meus dois descendentes
Transmiti-lhes tudo aquilo que sabia
E de tudo o que sabia
Nada de nada ficou omisso
Só de uma coisa tenho pena
O de nunca as ter visto crescer
De corpos sãos e mentes sãs
Como cresceram em Portugal
Mas sim na minha terra natal
Aí sim
Seria vê-las ainda bem mais felizes
Com a praia à porta de casa
Com amizades multicolores
Com uma noção bem diferente
Da Protecção a todos
Velhos e novos
Da Partilha de si mesmas
Da Paz que espalhariam à sua volta
Imbuídas
Do tal Amor Fraternal Universal
 
Marcolino Duarte Osório
- Peregrino -
2010-02-17
publicado por Marcolino Duarte Osorio às 00:53
sinto-me: Muitissimo feliz...!
tags:

Marcolino:
Já uma vez falámos sobre o respeito devido a quem já vai um pouco mais à frente que nós, nesta corrida que é a vida...
Sabe-lo feliz e realizado é muito tranquilizador e cria esperança em todos nós.
Obrigada pelo exemplo.
Abraço e bom fim de semana.
Marta M
Marta M a 19 de Fevereiro de 2010 às 22:03

Amiga Marta,
Sempre fui descuidado ao olhar as minhas memórias, mas a nossa Amiga Teresa, despertou-me para esta realidade num dos belissimos textos, do seu Blogue «Descobrir a Felicidade».
Fiz um recuo no tempo e vi que fui sempre muitissimo feliz, e sê-lo-ei, até acabar os meus dias, quando Deus o desejar.
Abraço e bom fim de semana,
Marcolino
©Marcolino Duarte Osorio a 19 de Fevereiro de 2010 às 23:03

Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
20

21
22
23
26
27



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO